Grupo de 15 empresas alemãs em Portugal

bosch

Ministro da Economia alemã lidera comitiva de empresas de componentes automóveis, energia, correios e logística.

Está hoje em Portugal uma comitiva de 15 empresas alemãs liderada pelo vice-chanceler e ministro da Economia da Alemanha, Philipp Rösler. A visita, de 12 horas, tem como objectivo encontrar novas oportunidades de negócio. As empresas vão desde o sector automóvel, componentes electrónicos, correios, energias renováveis, logística, electrodomésticos, equipamentos fotográficos, entre outros.

"O ministro da Economia alemão vai levar com ele algumas das melhores empresas alemãs que querem fazer negócio" com potenciais fornecedores portugueses, avança o embaixador de Portugal na Alemanha, Luís de Almeida Sampaio, ao Diário Económico.

A comitiva que acompanha Philipp Rösler integra representantes dos grupos Vaillant, Kostal, Deutsche Post-DHL, MAN Diesel, Deutsche Bahn ou Edscha.

A delegação germânica terá hoje reuniões com os ministros da Economia, Álvaro Santos Pereira, e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, e irá ainda visitar empresas portuguesas da área dos moldes, componentes automóveis e electrónicos, energias renováveis, entre outros. Um dos encontros previstos será uma deslocação à fábrica da Bosch Termotecnologia em Cacia, Aveiro, assim como às instalações da Adira, no Porto.

Luís de Almeida Sampaio acredita que esta visita irá trazer novas oportunidades para as empresas portuguesas, numa altura em que Portugal está a implementar as medidas de austeridade para sair da recessão económica. O embaixador português lembra que há investimentos alemães em Portugal que podem ser vistos como "um bom cartão-de-visita" do que se consegue fazer no mercado português. O mesmo responsável salienta o caso da fábrica da marca de máquinas fotográficas Leica, na zona de São João da Madeira, além da fábrica da Volkswagen Autoeuropa, em Palmela, que continua a "ganhar prémios no universo Volkswagen".

Já na área das energias renováveis, o diplomata português realça ainda que "temos algo a oferecer à Alemanha que está numa fase de viragem energética com o abandono progressivo do nuclear". "Temos empresas entre as melhores do mundo nas energias renováveis como a EDP Renováveis", sublinha.

Apesar do actual clima económico do País, Luís de Almeida Sampaio realça que "na Alemanha há a percepção que não há paralelo entre Portugal e outros países" com desempenhos menos positivos, numa referência indirecta à Grécia

- por Dírcia Lopes | Económico